Festival monta um grande arraial no Recife Antigo, com quadrilhas e muito forró na programação
Postado em 06/11/2019   | por Maíra Passos

Festival monta um grande arraial no Recife Antigo, com quadrilhas e muito forró na programação

Projeto “Casa do Forrobodó” acontece nos dias 22, 23 e 24 de novembro, no Cais da Alfândega, com atrações culturais, shows, feira de artesanato e oficinas. Todas as ações são abertas ao público e gratuitas

Com a proposta de promover a cultura do forró além do período junino, o projeto “Casa do Forrobodó” monta um grande arraial no Cais da Alfândega, no Recife Antigo. O evento acontece nos dias 22, 23 e 24 de novembro, trazendo na programação quadrilhas, trio pé de serra, feira de artesanato e oficinas (de acordeon, cerâmica e gastronomia). A realização é da OMF Projetos de Eventos e Marketing, através da Lei de Incentivo à Cultura (Governo Federal), com patrocínio do Atacadão e apoio da Uninassau e Prefeitura do Recife.

Segundo o produtor cultural Olívio Rafael, idealizador do projeto, a Casa do Forrobodó, na sua primeira edição, “surgiu com a ideia de resgatar e divulgar o forró tradicional, fortalecendo as raízes nordestinas e estreitar o relacionamento do público com o ritmo em outras épocas do ano”. De acordo com registros históricos, o forró significava, inicialmente, apenas a festa e local onde se realizava o arrastapé. Posteriormente, passou também a ser gênero musical e dança.

Hoje, o forró abrange vários ritmos, como o baião, xote, xaxado, coco, quadrilha junina, samba rural, amazurca e rancheira. Para apresentar um pouco dessa cultura, a Casa do Forrobodó montará um grande palco, onde passará quadrilhas, atrações musicais e de dança. A expectativa da organização do evento é que 10 mil pessoas circulem durante os três dias do evento. Entre os grupos que estão na programação: Quadrilha Zabumba, Grupo Matulão de Dança (da Quadrilha Raio de Sol), Matutinho Dançante, Junino Fulejo, Trio Pé de Serra Balanço Danado e Vittor Ferrari.

O evento contará também com decoração temática e espaço para sua feira de artesanato, que terá artesãos como Lucca Moda, confecção familiar e peças 100% algodão; Puro Verde, sabão artesanal e biocosméticos; Clara Moraes, design que utiliza técnicas de aquarela; Elizangela das Palafitas, que usa materiais reutilizáveis para criar réplicas em miniaturas dos barracos de papelão e madeira; Paula Carneiro, com peças produzidas a partir de materiais recicláveis; André Emerenciano, produtor de bijuterias artesanais; e Maria Caxiado, maquiadora profissional que vem com sua Estação do Glitter.

OFICINAS

Paralelamente aos dias oficiais do evento, haverá ainda oficinas gratuitas. No próximo dia 7, Dulce Costa ministra oficina de cerâmica, no seu atelier, das 9h às 12h, na rua Luiz Guimarães, nº 95, Poço da Panela. A de acordeon será com Júlio César Mendes, professor do Conservatório Pernambucano de Música, nos dias 20, 21 e 22/11, no Paço do Frevo (horário a confirmar). Já a de gastronomia terá 12 dias e abordará a reutilização de alimentos, como cascas. Será com a professora Kássia Nogueira, na Uninassau, sempre das 13h às 16h, nos dias 7, 8, 11, 12, 13, 14, 18, 19, 20, 21 e 22/11. As inscrições serão realizadas nos próprios dias e locais das oficinas.

SERVIÇO

Quando: 22, 23 e 24 de novembro de 2019
Horário: a partir das 17h, no dia 22, e das 14h, nos dias 23 e 24
Onde:  Cais da Alfândega, no Recife Antigo
Entrada franca
facebook.com/casadoforrobodo
instagram.com/casadoforrobodo

O projeto Casa do Forrobodó conta com assessoria de imprensa da Maíra Passos Comunicação.

PROGRAMAÇÃO

Sexta-feira, 22/11

17h Feira de Artesanato
17h30 Trio pé de serra
18h Quadrilha Matutinho Dançante
18h40 Trio pé de serra
19h30 Quadrilha Junina Zabumba
20h20 Delta na Voz
20h50 Ian Padilha
21h30 Broz e Mais Uma
22h WS DO Revife
22h30 Lyllou Agora tem vez
23h Dan do Cantor
23h30 Reina e Agora

Sábado, 23/11

14h Feira de Artesanato
15h Trio pé de serra
16h Quadrilha Junina Fulejo
16h50 15h Trio pé de serra
17h40 Quadrilha Raio de Sol
18h30 Projeto Hotnight
20h20 Vittor Ferrari
21h40 Willon o MLK do Macete na Vaquejada do Funk
22h10 Renan Atura ou Surta
22h40 Ch da Zo, Brabo D+
23h10 Ronald e a Voz Chegou
23h50 Losk Diferenciado (dança)
0h20 Mercinho e agora tu quer (dança)

Domingo, 24/11

14h Feira de Artesanato
15h Trio pé de serra
16h Trio pé de serra
15h50 Grupo Matulão de Dança
16h30 Grupo de Teatro e Música Irmão Sheila
18h D’Breck
20h20 Grupo Cultural Garotas Dance
20h40 Leo Brilhante (dança)
21h Vittinho Pressão
21h30 Wagner Pressão

SINOPSES DOS ESPETÁCULOS

Grupo Matulão de Dança, espetáculo Bumba meu boi bumbá – Criado em 2010, por integrantes da Quadrilha Raio de Sol (Olinda, PE), a fim de ampliar a atuação ao longo do ano. Vai apresentar o espetáculo Bumba meu boi bumbá, inspirado nas brincadeiras do boi, presentes em todo o Brasil nos mais diversos formatos e ciclos festivos. Apresenta de forma lúdica Mateus e Catirinas, o imaginário da morte e ressurreição do boi, além de figuras humanas e fantásticas, como Doutor Penico Branco, o Padre, a curandeira, a Ema, a Caipora, a Cobra e o Morto-carregando-o-vivo. A trilha sonora é composta por canções de Papete, Mestre Ambrósio, Hebert Lucena, Calango Aceso, Sa Grama e Aglaia Costa.

Matutinho Dançante, espetáculo Coração – Com 33 anos de existência, a Matutinho Dançante é uma quadrilha mirim de Ibura (Recife, PE). Apresenta o espetáculo Coração, que fala de um garoto que sai gritando pra todo mundo que tem o coração mais belo da cidade, ele sai expondo o seu coração como se fosse algo surreal na cidade, e todos ficam admirados com o coração do garoto. O espetáculo fala sobre as dores do coração e amor, brincando com o imaginário.

Quadrilha Junina Fulejo, espetáculo Felicidade – De Jaboatão dos Guararapes (PE). No espetáculo Felicidade, traz questionamento como “O que seria a felicidade?”, “Ter a sua vida traçada antes mesmo de nascer por alguém ou ir em busca da sua liberdade?”. Fugindo de um destino traçado ela encontra seu caminho através de estradas, a poeira a guiando pelo caminho da Felicidade. Sonhos realizados, mistérios desvendados, o verdadeiro amor encontrado. O projeto traz encenação das danças que levantam poeira, com ênfase no Coco, dança esta que vem sendo adormecida em nossas festas juninas.

Categorias: Cliente em pauta | Cultura |
Tags:
Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *